Mapeamento de focos de larvas do mosquito, de acordo com o Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa), são de alta e média complexidade.

 

          

Após mapeamento realizado em Mateus Leme por meio do Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa), foram confirmados focos do mosquito transmissor de dengue, zika vírus, febre chikungunya e febre amarela em 14 localidades do município, sendo identificados principalmente nas casas.

Em alto índice de infestação estão os seguintes locais: bairros Centro, João Paulo II, Vale Verde, Vale dos Araçás e Vila Suzana. Já, em média complexidade, estão os bairros Nossa Senhora do Rosário, Jardim Serra Azul, Santa Bárbara, Santa Luzia, Londrina, Alto da Boa Vista e Varginha, além dos distritos de Serra Azul e Azurita. Todos esses lugares possuem risco de epidemia.

Devido ao alto índice, a Secretaria de Saúde pede a colaboração dos moradores para erradicar os focos do Aedes aegypti.

Em janeiro de 2017, o resultado do Liraa foi de 0,5%, considerado de baixo risco. Já no mesmo período deste ano, foi registrado um índice de 2,6% - situação preocupante, uma vez que o índice indica médio risco. Por isso, a secretaria solicita que as pessoas não deixem água parada nas suas residências, limpando os quintais e os lotes.

 

Principais ações para evitar os criadouros

- Não deixar água parada em pneus fora de uso.

– Não deixar água parada sobre a laje e nas calhas das residências.

– Vasilhas que ficam abaixo dos vasos de plantas devem estar sempre secas ou cobertas com areia.

– Caixas d’água devem ser limpas constantemente e mantidas sempre fechadas e bem vedadas. O mesmo vale para poços artesianos ou qualquer outro tipo de reservatório de água.

– Vasilhas que servem para animais como gatos e cachorros beberem água devem ter a água trocada diariamente.

– Piscinas devem ter tratamento de água com cloro sempre na quantidade recomendada. Piscinas não utilizadas devem ser desativadas, com a retirada total da água, e permanecerem sempre secas.

– Garrafas ou outros recipientes semelhantes (latas, vasilhas, copos) devem ser armazenados em locais cobertos e sempre de cabeça para baixo. Se não forem usados, devem ser embrulhados em sacos e descartados no lixo.

– Não descartar lixo em terrenos baldios e manter a lata de lixo sempre bem fechada.

– Regar as bromélias com uma mistura de 1 litro de água e uma colher de água sanitária.

 

Sempre que observar alguma situação de difícil resolução, avise imediatamente um agente público de saúde para que medidas eficazes sejam tomadas. O telefone da Zoonoses é o 3535-4053.

 

Como agir em caso de suspeita de dengue

Em casos de suspeita da doença, a pessoa deve procurar, imediatamente, por um serviço de saúde. Os aspectos mais comuns são febre alta, dores articulares e musculares, dor de cabeça, dor na região atrás dos olhos, manchas avermelhadas pelo corpo, cansaço, vômito e diarreia. Vale ressaltar que o quadro febril deve estar associado a dois ou mais sintomas.